sexta-feira, junho 16, 2017

«A mulher ideal é a mulher que não existe.»


Há muito tempo que não escutava um homem a falar com tanta sapiência das mulheres. Provavelmente ele pensa que os cabelos brancos de quem já passou os sessenta e o ar de galã de telenovela mexicana que faz questão de manter, lhe dão autoridade para nos oferecer tantas generalidades.

Houve um momento que não consegui conter o riso, quando ele disse que continuava a ser tão fácil apaixonar-se como desapaixonar-se. Pensei no bom do Vinicius de Moraes, que também tinha uma grande facilidade em saltitar de amor em amor. Mas ele era quase um "deus", graças ao bom uso que dava às palavras e, que depois oferecia às suas musas...

No meio da conversa o nosso homem ia olhando com alguma galhardia para as mulheres bonitas que passavam por nós.

Quando começámos a olhar para o relógio, quis ir ainda mais longe, quando disse: «Quanto mais mulheres conheço, mais fácil é apaixonar-me. Há sempre uma mulher capaz de me surpreender e de me ensinar coisas novas. É por isso que digo que a mulher ideal é a mulher que não existe. Existem dúzias e dúzias, todas diferentes, e ainda bem.»

A caminho da sala de reuniões, fomos conversando sobre o "charmoso" que nos tinham oferecido numa "rifa" (era dono de uma das empresas que nos "pagavam"...), fazendo aparecer vários animais no diálogo, desde o "tigre", ao "papagaio" passando pelo "leão" e acabando no "galo".

Antes de entrarmos, ainda olhamos uns para os outros, meio tristes, por sermos quase naturalmente, homens de uma só mulher, e cada vez mais distantes das histórias de mulheres ideais. Encarámos a realidade com desportivismo, pois se por um lado ainda estávamos a vários anos da idade do "balzaquiano", por outro também estávamos a vários zeros de distância da sua conta bancária...

(Fotografia de Tony Vaccaro)

4 comentários:

  1. Ah!!! No final do texto é que vem a solução do sucesso do sexagenário... :)))
    Muito gostam os homens de mandar papaias sobre as mulheres! :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E também de futebol e de carros, Graça. :)

      Eliminar
  2. Luís, quando oiço pessoas a vomitar ego, vem-me sempre a sensação de que navegam num enorme vazio.
    Que as mulheres são todas diferentes (tal como os homens), isso é verdade, e ele não descobriu nada.

    Gosto desta foto... Ainda não foi há muito tempo que a Laurinha a tinha mostrado também.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há sempre quem goste de demonstrar a sua "superioridade" de várias maneiras, Isabel.

      As mulheres bonitas continuam a ser usadas por homens com carteiras cheias de dinheiro... que devem ter muito espaço vazio em várias partes do corpo.

      Eliminar